Sistemas para bibliotecas, desenvolvimento web, organização da informação, produtividade – Tutoriais e reviews

Biblioteconomia, Nerdices

Catalogando um acervo pessoal no LibraryThing

Conheci o LibraryThing no início da faculdade, nos idos 2006, e depois de usar por um tempo na época, acabei deixando de lado.

Para organizar acervo pessoal em um freela usei o módulo Biblio do Drupal, que já está obsoleto; tenho feito testes em utilizar o WordPress para isso, mas ainda não finalizei o projeto.

Recentemente, em parte pela lembrança do site através do curso da ClassCursos (não é merchan), acabei voltando a utilizar o LibraryThing.

Uma das características que lembrava dele era o limite de 200 livros na versão gratuita mas, por sorte, desde 18 de março de 2020 eles liberaram todas as funcionalidades na conta gratuita.

Resolvi aproveitar a lembrança e as férias em casa para catalogar meus livros pra valer (ironicamente ainda não tinha feito isso…) e compartilho aqui as minhas padronizações.

Separei o conteúdo em entrada de dados, destacando o que defini para minha biblioteca particular, e estilos de exibição (as listas disponíveis em /catalog).

Entrada de dados

Inclusão de itens

Tenho utilizado a opção de importação sempre que possível: são quase 5 mil fontes de registros e costumo pesquisar nos seguintes:

  • Amazon.com books
  • Universidade de São Paulo
  • Universidade Estadual de Campinas
  • Universidade Estadual Paulista UNESP

Título

Se importado, padronizo para apenas inicial e nomes próprios com letra maiúsculas; e incluo a indicação para ordenação.

No campo é indicado em que caractere inicia a ordenação; diferente do MARC, onde indicamos quantos caracteres desprezar no início do título.

Como não há um campo específico para série ou coleção, optei por colocar no título quando for pertinente.

Exemplo: O restaurante no fim do universo (O mochileiro das galáxias – v. 2)

Autores

Preencho o principal e também os demais autores e respectivos papéis, com nomes completos ou da forma mais conhecida.

Tags

Incluo uma indexação conforme os assuntos que eu pesquisaria, como julgo ser o melhor em uma biblioteca pessoal e de acesso restrito.

Exemplo: para obras literárias incluo indicação geográfica (Literatura brasileira), de gênero (Humor, Terror) e de forma (Romance, Poesia).

Coleções

Inicialmente optei por não utilizar as coleções padrão e criar novas com nomes em português, mas reparei que algumas funcionalidades utilizam elas, como:

  • no perfil são exibidos os livros que estou lendo baseado na categoria “Currently reading”, e
  • na importação por padrão vem a categoria “Your library”, mesmo que ela esteja inativa.

Por isso, acabei mantendo as categorias padrão e só criei algumas novas para a organização que decidi utilizar, descritas abaixo.

Conforme posse

  • Your library: todos os que tenho em casa
  • Read but unowned: os que li de biblioteca ou emprestados de outras pessoas
    • Repetir em “Lido
  • Doado: já tive mas passei adiante

Conforme assunto principal

  • Técnico: tudo que é relacionado a programação web, biblioteconomia e áreas afins
  • Lazer: literatura, filosofia, HQ e livros que não sejam técnicos
  • Culinária: receitas, drinks e afins

Conforme leitura

  • Lido: finalizei a leitura de todo ou de boa parte (pois de livros técnicos muitas vezes só li alguns capítulos específicos)
    • Repetir aqui os que estão em “Read but unowned” para eu ter uma coleção única do que li
  • Currently reading: estou lendo no momento
  • Favorites: os que mais gostei

Mídia / formato

O LibraryThing possui uma taxonomia para definir o tipo de mídia e é possível configurar até que nível exibir nas visualizações.

Eu optei por usar até dois níveis e apenas separar livros impressos de livros eletrônicos (e-books comprados):

  • Book > Paper Book
  • Book > Ebook

Dentro de Paper Book tem outras divisões como “Comic book” mas, como tenho poucos exemplares neste formato, vou deixar tudo em “Paper book” e fazer a diferenciação por tags.

Dados de publicação e descrição física

No campo “Publication” incluo a informação de edição, quando pertinente, e incluo a imprenta, repetindo o ano indicado no campo “Publication date“.

Exemplos:

  • São Paulo : Planeta, 2017
  • 2. ed. Salvador : UFBA ; Brasília, DF : IBICT, 2006

Preencho o ISBN sem hífen, que é como ele inclui na importação.

Na parte de descrição física, preencho apenas a paginação.

Idiomas

  • Primary: idioma da edição que tenho
  • Original: idioma original (quando diferente do Primary)
  • Secondary: apenas se a edição tiver mais de um idioma

Comentários

Utilizo o campo “Private comments” como nota interna para indicar se é um livro autografado ou outra nota que seja pertinente.

Utilizo o campo “Summary” para colocar o sumário, por falta de um campo melhor para isso. Gosto de incluir quando faz sentido, como em coletâneas de contos ou livros técnicos com diferentes assuntos.

Estilos de exibição

O LibraryThing permite configurar cinco estilos de visualização em lista, que podem ser configurados com os campos de preferência.

Para o meu acervo pessoal, fez sentido configurar eles desta forma:

  • A: visão geral com informações de leitura e empréstimo
  • B: data em que foi incluído no LibraryThing, sumário, nota interna, dados de aquisição e de inclusão no sistema
  • C: dados para conferir a catalogação: imprenta, data, idiomas, caracteres para ordenação, ISBN, mídia
  • D: dados para conferir a indexação (tags) e a classificação
  • E: informações adicionais como personagens, filmes relacionados, etc.

O último estilo deixei dessa forma por não ter outra necessidade no momento.

E você? Já utilizou o LibraryThing? Gostaria de ver mais conteúdo sobre ele? Comenta aí!


Créditos da foto: Annie Spratt on Unsplash

6 Comments

  1. Cris

    Que legal! Eu tenho os livros lidos no skoob desde 2012, tô usando o goodreads com mais frequência esses últimos meses. Vou testar o LibraryThing, parece bem interessante

  2. Francine

    Olá
    Vou implantá-lo na biblioteca de um cliente!
    Adorei seu post, obrigada 🙏🏻

  3. Vinicius Lelli

    Amo o LT e o uso a anos e como você, só agora fui dar uma atenção a uma catalogação mais completinha e merecida ao meu acervo! Ótimo post, bem elucidativo em muitas questões! Parabéns!

Leave a Reply