Migrando do Windows XP pro Ubuntu

Continuando o Primeiras impressões do Ubuntu (dois meses depois)…

  • O PHL pra Linux não deu muito certo aqui — tampouco o pro Wine. Então continuo sem.
  • To usando o Amarok pra ouvir músicas e o Rhythmbox pro iPod (ele quebra o galho com o iPod, mas se precisa formatar, por exemplo, não serve). Não cheguei a testar loucamente os players.
  • Não me dei bem com o GIMP (assim como não me dava bem com o Photoshop) – mas o Fireworks no Wine funciona bem o suficiente.
  • Impressora: só instalei o HPLIP e a impressora (uma multifuncional 1200 series) funciona perfeitamente, sem nenhuma configuração extra! Ainda não testei nem o scanner nem imprimir pela rede…
  • Pra editar/gerenciar as tags das mp3, to com o Tag Tool — ainda não mexi muito, mas me parece ter todas as funcionalidades do Tag&Rename que eu usava;
  • Não gostei que o Gerenciador de Rede wireless pede senha pra ser ativado.

Acho que falta um pouco de boa vontade por parte dos desenvolvedores do Ubuntu pra facilitar a vida de pessoas que não sabem nada além de mexer no Windows. Não que seja difícil… mas acho que eu não instalaria Ubuntu (ou qualquer outra distribuição de Linux) se não tivesse amigos/conhecidos que sabem mexer bem e possam me socorrer (né Fefo e Will?). Claro que tem fóruns e tutoriais e tudo mais… mas podia ser mais amigável. E isso considerando que eu não sou uma usuária iniciante, digamos assim.

Por exemplo, ainda não consegui uma maneira fácil pra atualizar o BR Office da versão 2.4 pra 3.0. Tentei de um jeito que estragou tudo e tive que desinstalar/reinstalar algumas vezes até voltar a funcionar a versão antiga. Não precisva ser tão chatinho assim.

Então, a ideia desse post é reunir algumas soluções e dicas na transição Windows XP -> Ubuntu 8.10 Intrepid.
Conforme eu for usando, vou adicionar conteúdo aqui.

A primeira e mais importante dica é: mexa, vasculhe, procure as coisas. Em Sistema/Centro de controle, por exemplo, há váárias coisas pra mexer/alterar.

Para ver arquivos .rmvb: adicionei o Medibuntu nos repositórios do Gerenciador de Pacotes Synaptic e instalei o w32codecs. Nota: acrescentar o nome da distribuição — no meu caso, ficou http://packages.medibuntu.org/ intrepid.

Mudando a aparência…

Tela de login — GDM
Gnome-look

Temas (controles, cores, margem das janelas) — GTK 2.x
Gnome-look

Tela de abertura — Splash screen
Gnome Art
Gnome-look

Nota: pra instalar as splash screen, tive que digitar o seguinte (tirei daqui):

sudo apt-get install gnome-splashscreen-manager

Chrome para Linux: CrossOver Chromium [acho ele meio tosco, mas quebra o galho de quem quer usar o Chrome do Google enquanto só há versão oficial para Windows] — tem também pro Mac OS X.

–x–

Dicas de sites:

Como instalar tudo em Ubuntu

Linux acessível

–x–

Algumas diferenças (a título de curiosidade):

  • Atalhos diferenciados — inclusive nos programas (os do sistema operacional evidentemente que seriam diferentes);
  • Atalhos ‘globais’ — dá pra ver e alterar os atalhos (global shortcuts) facilmente.
  • Não tem clique direito+arrastar arquivo = opção pra mover/copiar/criar atalho;
  • Print screen — ele já abre uma tela pra salvar a captura de tela (tipo a extensão Screengrab do Firefox). Se usar o atalho alt+print screen, ele salva só a imagem da janela que tá em foco, ignorando todo o resto (barras de ferramentas, outras janelas abertas mas não em foco, etc.);
  • A visão dos arquivos nas pastas é de três tipos: compacta (equivalente à ‘lista’ do XP), em ícones (equivalente a ‘miniaturas’), em lista (mistura de ‘detalhes’ com Windows Explorer).

–x–

Ok, como bem lembrado pelo Fefo, tudo que postei até agora era com o GNOME.

Instalei o KDE4 agora, então veremos o que muda 😉

2 respostas para “Migrando do Windows XP pro Ubuntu”

  1. bueno,

    sobre formatar dispositivos móveis, como pendrives e iPods, realmente não tem nenhuma ferramenta que facilite isso; a Ana vive reclamando sobre isso, aliás… até já existe, mas virá na próxima versão do sistema (que sairá em duas semanas). antes disso, se quiser podes instalar o gparted, que gerencia partições e permite formatar dispositivos.

    sobre o BrOffice, concordo plenamente que tá uma bosta de migrar. na próxima versão virá o openOffice.org 3.0 por padrão, mas se quiser antes pode ser fácil como um clique ou sofrível como uma enxaqueca; e esse resultado é aleatório. uma bosta, como eu escrevi antes

    que bom que conseguiu resolver o problema com os arquivos rmvb. particularmente não gosto muito do repositório medibuntu porque tive experiências desagradáveis (e também por ter mais da metade dos pacote disponíveis não-livres), mas se funciona pra ti, beleuza creuza!

    ah, então, o GNOME não permite arrastar com o botão direito; fato. mas dá pra arrastar com o botão esquerdo segurando a tecla Alt pra exibir um menu de contexto (ou Ctrl para copiar diretamente)

    BTW, já experimentou o KDE4? 🙂

  2. Eu não consigo, simplesmente não consigo manter a guia lá no topo, pra mim o lugar dela vai ser sempre embaixo (resquicio de Windows). Anyway, o Ubuntu ainda tem que comer muito feijão para virar um sistema operacional for dummies, se deseja, como afirmam alguns delirantes das comunidades, virar o sucessor do Windows.
    KDE é um ambiente muito poderoso, mas ele vem bem “basicão” demora um tanto até tu conseguir deixar ele com a cara que tu quer.
    O KDE 4 tá todo mundo choramingando e enchendo o saco que tá meio instável, enfim, aqui ficou jóia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *